Alice no Rio sem maravilha

É uma VERGONHA o que aconteceu com a menina Alice Rocha, de 4 anos, levou um tiro na cabeça, quando comprava pipoca, no momento em que policiais civis trocavam tiros com criminosos, na Taquara, na última terça-feira, 31 de maio de 2022, Século 21, Rio de Janeiro.

Esse crime, sem adjetivo capaz de nomeá-lo, parace não tocar ninguém, além dos familiares da menina. É como se fosse algo banal. Sim, banal. Porque infelizmente o Rio de Janeiro tornou-se uma cidade absurda, surreal, triste, VERGONHOSA.

Matar criança aqui é coisa corriqueira. Mesmo com muita saudade, fico feliz que minha neta, de 6 anos, tenha deixado o Rio de Janeiro e foi para bem longe. Minha neta corria risco de vida, assim como as crianças que vivem aqui, principalmente as crianças pretas e pobres. Isso embrulha meu estômago.

Esta cidade tinha de ter parado! O prefeito e o Governador tinham de ter feito uma coletiva conjunta e ter pedido desculpas ao povo, além de medidas drásticas para acabar com esse genocídio diário. Os bons policiais, eles ainda existem, acredito, deveriam ter feito greve.

Nada, nada justificará este crime. O Rio de Janeiro ao alvejar com uma bala a menina Alice, prova que de maravilhoso não tem mais nada; o Rio é uma terra sem Lei.

Na última terça-feira, enquanto essa tragédia se desenrolava, assisti no Canal Brasil a série documental “Lei da Selva – A História do Jogo do Bicho“, de Pedro Asbeg, que mostra como essa prática está intimamente ligada ao crime organizado, ajudando a financiar tráfico de drogas, milícia e corrupção.

Dividida em quatro episódios, a produção da Kromaki e Canal Brasil estreou dia 29 de abril, às 22h30, no Canal Brasil e nos serviços de streaming Canais Globo e Globoplay + Canais ao Vivo.

Esta série deveria ser exibida em todas as escolas do ensino médio, universidades, comunidades, porque ela expõe o que o Rio de Janeiro se transformou.

Alice, a menina alvejada por um tiro quando comprava pipoca, é vítima de uma construção histórica desta cidade cujas as bases da violência residem na escravidão, injustiça, desigualdade, miséria, repressão política, policial, e crime organizado.

Sinto muito dizer isto, mas a Cidade do Rio de Janeiro está morrendo. Ela está se transformando num verdadeiro cemitério.

Peço perdão Alice, por você ter tido a falta de sorte de ter nascido nesta cidade que é tão bela, e ao mesmo tempo tão feia.

Perdão, Alice. Muito triste.

Francis Ivanovich é jornalista, cineasta e produtor cultural.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s